20 clipes que Me Inspiram

Filmes, vídeos, clipes ou séries. O audiovisual sempre foi uma fonte de inspiração pra muita gente, pela sincronia de som e imagem, referências ou simplesmente por traduzir em imagens e sons tudo aquilo que sentimos, pensamos ou desejamos pra nós.

Muitas vezes quando tenho um tempinho livre para não fazer nada, gosto de ficar revendo alguns clipes que gostei muito. A maioria deles me inspira, estão ligados a algum momento da minha vida ou simplesmente eu me identifico muito com os momentos. Então resolvi listar 20 dos trocentos que costumo rever de vez em quando.

The One That Got Away

The One That Got Away foi o clipe me inspirou a escrever o texto sobre As Cores do Passado. O clipe, e a música, falam de alguém que se arrepende de não ter vivido como deveria um grande amor. É um romance com um fim trágico. Eu gosto das cenas que mostram as simplicidade da vida, como quando fazem a tatuagem em casa e dormem em um colchonete no chão de um quarto.

Up In The Air

Up In The Air é um cheio de significados e referências f@das. Começando com participações como a diva! Diva Ton Teese, o artista Damien Hirst, a modelo Ashley Smith e Anastasia Krivosheeva, se você não sabe quem é essa galera, joga no Google, porque seus trabalhos são inspiradores e alguns chocantes. Pra mim, um dos clipes mais fodas que já foram feitos. Segundo a banda, ele fala de transformação e como conseguimos mudar quem somos.

Yoü And I

Yoü and I fala de como sofremos quando estamos longe de quem amamos. Ele é baseado em um antigo relacionamento e o quanto ela correu para reconquistá-lo. Eu gosto da fotografia do clipe e como uma música lenta conseguiu ganhar uma coreografia tão legal. Também gosto de como Lady Gaga insere elementos muitos subjetivos em seus clipes, como o milharal e o celeiro, algo que ela disse que somente o ex dela, sobre quem a música foi escrita, conseguiria entender. Então tá, né?

Try

Try traduz muito bem um relacionamento turbulento. A tenuidade entre luta e dança transmite bem essa mensagem.

Desintegration

Eu amo esse clipe porque eu amo Dita Von Teese, e foi aqui que eu descobri que essa mulher surreal também canta. Acho bem legal as referências do vídeo e a maneira como ele foi construído e . O vídeo narra a história de uma dona de casa com desejos reprimidos.

If I Coud Change Your Mind

Esse aqui foi indicação da Cris (<3), não conhecia a Haim, mas é um clipezinho legal de se ver quando não tem nada melhor pra fazer. Mas cuidado que a música é chiclete. Sem falar que a coreografia é ótima.

Underneath

Underneath é um momento nostalgia, ouvia muito quando tinha lá meus 15 anos e continuo vendo até hoje. Fala de perdão e sobre limpar o coração pra dar espaço para um novo começo ou recomeço.

I Want Your Love (Tom Ford Spring/Summer)

https://www.youtube.com/watch?v=44ntWqV4oW0

Esse aqui não se trata exatamente de um clipe. A parceria entre o estilista Tom Ford e Lady Gaga fazendo um cover de I Want Your Love, da banda Chic, resultou nesse vídeo de divulgação da coleção primavera verão super fashionista e alto astral. Dá até pra se imaginar desfilando com essa música tocando na sua cabeça.

Funk do Cajado <3

Tem coisa melhor pra levantar o astral do que Jout Jout? Um clipe dela então nem se fala.

Chandelier

Eu gosto de Chandelier porque é uma daquelas músicas que combinam quando estamos em uma crise com nós mesmos. A fotografia, a coreografia e a letra criam um ambiente que descreve a minha cabeça naqueles dias enjoativos.

Into The Blue

Esse é um dos meus clipes atemporais favoritos. Fala de abandonar uma relação problemática, de liberdade e reconciliação. As situações do clipe me lembram muitos várias relacionamentos que já tive. É uma das minhas músicas favoritas para ouvir quando ando pela centro da cidade a noite.

Dance In The Dark

Este não é um clipe oficial. Alguns fãs da era The Fame ficaram muito chateados por Dance in The Dark ter sido apenas um single promocional e que não tenha ganhado clipe. Então fizeram uma vaquinha e gravaram por conta própria. O resultado ficou impecável! E não é apenas um dos meus clipes favoritos, mas uma das minhas músicas com a qual me identifico. Ela marcou o fim de um namoro e a minha autoaceitação sobre quem eu era. Basicamente, a música fala de uma garota insegura, que gosta de fazer sexo no escuro porque tem vergonha do próprio corpo. Ela também fala de situações onde precisamos de força e coragem.

Raise Your Glass

Raise Your Glass é uma música e um clipe marcante porque me ajudaram a superar o bulliyng na escola. Fala de diversidade, força e valorização de quem você é.

So What

So What marcou minha fase rebelde. O clipe trata na verdade do quanto nós podemos nos tornar amargos por conta de um relacionamento.

Hate That I Love You

Hate That I Love You fala sobre se apaixonar. Eu lembro de assistir muito esse clipe durante um período que fiquei solteiro, em que eu desejava alguém com quem pudesse contar.

The Only Exception

Durante aquela fase de descrença no amor, ouvi muito essa música. Eu gosto da maneira como “leva a si mesma” durante as várias situações do clipe. O clipe fala de alguém que não acredita mais no amor mas que acaba se apaixonando.

Halo

Hale é quase um hino. A música me ajudou a valorizar o que eu gosto no meu relacionamento e me lembrou o que realmente vale a pena.

Ride

Ride foi uma música que ouvi quando estava perdido em mim mesmo. Eu saía com muita gente para me distrair. Era um viciado em conhecer novas pessoas, mentindo pra mim mesmo que estava procurando alguém especial. E Ride era minha trilha sonora.

Safe & Sound

Para terminar, eu escolhi Safe & Sound. Essa música desperta em mim muito mais significados e situações do que eu consigo explicar. Pra mim, ela fala sobre deixar alguém que já amamos. Ela é triste com um toque de esperança.

Blogueiro, criador do Cronistas de Quarto, amante de chuva, música, cinema e passar horas no quarto rabiscando aventuras.

Se você gostou desse texto, deixe aqui seu comentário. :)

comentários