O que esperar do amor em 2016?

De um certo modo, 2016 começou de um jeito simpático. Com um feriado prolongado, um fim de semana estendido e um começo de semana relativamente tranquilo.

Não sei você, mas pra mim 2015 foi um ano para se preocupar pouco com o amor. Foi um ano em que ele deu muita dor de cabeça, mas que eu me doei pouco para ele. Acho que eu estava muito ocupado vivendo outras lados minha vida para me importar com o que o amor tinha pra dizer. Parecia mais “outra coisa pra resolver” no tumulto da vida. No ano passado, eu não vivi para ser amado nem tirei muito tempo para amar. Acho que me fechei um pouco para o que estava ao meu redor quando o assunto era um relacionamento.

Agora, em 2016, acho que muita gente vai voltar a se preocupar um pouco com si mesmas. Vão voltar a viver. Posso me incluir entre elas. Mesmo nesse novo jeito de ver as coisas, acho que não vou me arriscar muito. Pra quê a pressa, não é? Além disso, tudo que começa rápido, acaba rápido.

Acho que cheguei num paradoxo. Se a gente se doa muito, quebra a cara. Se a gente não se doa, ficamos distantes de um novo amor. Então 2016 vai ser um ano onde as pessoas vão ter esses dois caminhos e a escolha cabe a cada um. Vai ser um ano onde eu vou caminhar olhando bem onde vou pisar, porque com um passo em falso pode-se quebrar facilmente um coração (até mesmo o meu). Nem sei onde ele anda. Você viu ele por aí?

O meu conselho para se dar bem nesse caminho incerto e não se perder é ser fiel com sua palavra e com o que você acredita. Eu descobri – do jeito mais doloroso – que uma pessoa pode te dizer uma coisa na qual ELA quer acreditar. E diz pra você, para se forçar a tornar aquilo realidade. Bom, não acho que pessoas sirvam pra esse tipo de exercício. Se você acha, melhor voltar para o seu próprio laboratório e deixar o coração dos outros em paz. Um coração não é algo feito para se brincar. Então, prometa coisas que você sabe que VOCÊ poderá cumprir. Não desistir na primeira dificuldade, entender mais o outro, aceitar, conversar… Ouvi tantas….

Pra quê ter medo de amar? Tenha medo de não aproveitar o que ele pode oferecer.

Ah! Não pense que o amor virá fácil. Às vezes vamos ter que dar a oportunidade. Deixar que ele saia da toca por vontade própria. Não saia correndo atrás dele.

Feliz 2016.

Se você gostou desse texto, não deixe de comentar aqui embaixo.

Blogueiro, criador do Cronistas de Quarto, amante de chuva, música, cinema e passar horas no quarto rabiscando aventuras.

Se você gostou desse texto, deixe aqui seu comentário. :)

comentários