5 passos para deixar de ser trouxa

Cronistas de Quarto - Parar de ser trouxa

Eu ando fazendo tanto papel de trouxa nessa vida que já estou quase me graduando nessa faculdade. Sabe quando parece que o mundo inteiro resolveu se unir contra você e te fazer de trouxa ao mesmo tempo? A boa notícia é que com uma dose de autoconhecimento e amor próprio, você pode virar esse jogo rapidinho. Tão rápido que vou te ajudar a deixar de ser trouxa em apenas 5 passos, confere aí!

Eu sempre me preocupei mais com os outros do que comigo mesma. Se você também é assim, então está na hora de eu te ensinar algo que eu tive que aprender na marra: “não importa o quanto você se importe, algumas pessoas simplesmente não se importam.” (William Shakespeare)

Se alguém fica eternamente reclamando contigo sobre algo que poderia ser resolvido de uma forma muito simples, mas não toma nenhuma atitude para mudar as coisas e finalmente colocar um ponto final nessa situação, acredite: não vale a pena ficar com dó e cabelos brancos por conta disso.

Contente-se com o fato de que, infelizmente, você não é responsável por resolver os problemas do mundo. Em vez de se preocupar com os problemas dos outros, que tal parar de procrastinar o que quer que seja que você esteja deixando de lado?

Eu não deveria precisar explicar esse item, mas eu entendo o que é ser compreensível em demasia e se pegar analisando a vida inteira de alguém tentando encontrar justificativa para atitudes que simplesmente não são aceitáveis.

Se o outro fez algo que você reprova, fale! Não aceite qualquer desculpa esfarrapada! E jamais permita que isso se repita. Se acontecer pela segunda vez, vai acontecer pra sempre. Não deixe que esse problema se torne um hábito, porque quanto mais você aceitar desculpas, menos as pessoas irão te respeitar.

Não é só a sua mãe que sabe o que é melhor para você. Os seus verdadeiros amigos, aqueles que não tem medo de apontar o dedo na tua cara e dizer que você tá fazendo papel de trouxa, sabem o que eles estão falando. Mesmo! Então, apenas preste mais atenção ao que os seus amigos pensam sobre as pessoas com quem você anda saindo. Você pode se livrar de problemas gigantes se confiar no que eles dizem. (Amo vocês, Dani, Mel e Milenna!)

Não adianta ter o olhar mais encantador e te falar um monte de coisas bonitas, se as atitudes da pessoa não condizem com o que ela diz então tem algo muito errado nessa história. E se as coisas já são assim no começo, sinto te dizer que depois só vai piorar. Quem não tem compromisso com as próprias palavras não merece a sua atenção.

Faça um favor para você mesmo: coloque na sua cabeça que você não é responsável pelas atitudes de terceiros! Ser uma pessoa boa, compreensível e confiável não é, nunca foi e nunca será um defeito. Muito pelo contrário, são algumas das qualidades mais admiráveis e desejáveis de se ter. Não deixe o mundo endurecer o seu coração, não se feche para o que pode ser bom só porque alguém não soube valorizar a sua companhia! Um belo dia pode ser que alguém realmente especial apareça na sua vida, e você precisa ter o coração e a mente abertas para poder aproveitar esse momento. 😉

Blogueiro, criador do Cronistas de Quarto, amante de chuva, música, cinema e passar horas no quarto rabiscando aventuras.

Se você gostou desse texto, deixe aqui seu comentário. :)

comentários