A gordofobia é maior entre os gays

Cronistas de Quarto - Tabus - Gordofobia - 5 motivos para namorar gordinhos

Recentemente, eu me aventurei pelo mundo underground dos aplicativos gays. Além de servir para conhecer novas pessoas, entrei para entender melhor o comportamento de quem costuma usar esses aplicativos sociais e escrever um dos artigos mais lidos aqui do blog.

Um dia, me deparei com um pesquisa realizada pela Psychology of Sexual Orientation and Gender Diversity com 215 gays de 18 a 78 anos, que dizia que um terço deles já havia sofrido descriminação por estar acima do peso. No momento em que vi isso me lembrei das descrições vários perfis desses aplicativos. Resolvi separar alguns para termos uma noção das preferências desse pessoal.

Como você pode ver, quem tem o IMC acima da média não vai ter chance. Espera… Nem com o IMC dentro da média. O estudo mostrou o preconceito também é dirigido para pessoas com o índice considerado normal. Sendo bem sincero, fiquei bem triste por ver coisas piores que isso. Coisas como “gordo nojento”, “velho gordo” e a hashtag #foragordo são só algumas das ofensas que você encontra.

Os homens homossexuais relataram maior probabilidade de dizer que o homem acima do peso seria solenemente ignorado, tratado de maneira rude ou ridicularizado por trás das costas ao se aproximar do(a) potencial parceiro(a) romântico atraente.

Basicamente, um gordinho não poderia namorar alguém tido como “atraente”. Ponto.

Qual o problema em ser gordinho?

 

Nenhum. O problema, na verdade, são as pessoas.

Olhando essa situação, me pareceu mais um reflexo do que os padrões da sociedade colocam no mundo. Pode parecer meio clichê ou piegas falar sobre isso padrões de beleza, mas você e eu sabemos que isso é realidade. Mas porque isso é mais forte entre os gays eu não sei responder. Basicamente, um gordinho é visto como alguém menos atraente. Como alguém que já namorou caras gordinhos, eu discordo completamente disso.

Esperando o príncipe encantado?

(Foto: The Shared Experience via VisualHunt / CC BY-NC-ND)

Pelo o que eu andei xeretando, ter uma namorado forte, bonito, atlético e ativo, é o sonho de consumo da maioria dos gays desses aplicativos. Mas adivinha… eles procuram semelhantes e também ativos.  ¯_(ツ)_/¯

Só lembrando que isso é um senso pessoal que eu tive conversando com essa galera. Não vamos generalizar, tudo bem?

Até os 12 anos eu era uma criança gordinha, então sei como é viver num mundo onde ser gordo está errado. Onde todo mundo prefere a pessoa magra e bonita, porque é por isso que todos procuram.

Primeiramente, gostaria de diferenciar duas coisas. Existem pessoas que são gordas porque gostam de comer (<3) e aquelas que possuem uma tendência genética a ficar acima do peso. É triste pensar que só porque você tem gordurinhas localizadas você já será taxado como alguém que não vai ter a menor chance em tentar um relacionamento com uma pessoa que fisicamente mais atlética.

O que eu tenho a dizer é: só lamento. A vida não é feita daquilo que queremos. E se você for ficar esperando o príncipe ideal, quando pensar ter encontrado, já vai ter muito pouco tempo para aproveitar. Entende?

Onde quero chegar

(Foto: Silvia Sala via VisualHunt / CC BY-NC-ND)

No fim disso tudo, todo mundo sai prejudicado. Quem tem o preconceito, perde a chance de conhecer alguém muito especial por algo tão bobo quanto a aparência. E quem sofre o preconceito, porque isso só deixa a autoestima mais baixa. “Eu não gosto de gordinhos”, “não sinto atração”, tenho que mudar isso? Eu não vim aqui para dizer o que você deve ou não fazer. Eu vim aqui apenas estimular uma reflexão sobre o tema. É a opinião de alguém que vem observando isso e acha uma p*ta injustiça. Porque da mesma forma que alguém já foi dispensado por ser gordo, eu já fui dispensado por usar óculos, e cada um de nós coleciona alguma história parecida.

A felicidade não está numa barriga definida.

Cuidar da saúde, da forma, é muito importante. Ser feliz é mais ainda. Se você não gosta de gordos ou afeminados, eu sinto dizer que você faz parte de uma grande maioria de pessoas dessa comunidade. E se a resposta para essa sua preferência for “não sei, só não gosto”, existe aí 99% de chance de ser puro preconceito.

 

 

Blogueiro, criador do Cronistas de Quarto, amante de chuva, música, cinema e passar horas no quarto rabiscando aventuras.

Se você gostou desse texto, deixe aqui seu comentário. :)

comentários