O universo intenso e insano de Esquadrão Suicida

Cronistas de Quarto Filmes Esquadrão Suicida

No fim de semana retrasado, fui a convite de alguns colegas assistir ao filme Esquadrão Suicida. Eu não estava muito animado para ver o longa já que as produções do universo da DC Comics e Marvel não fazem muito o meu estilo de entretenimento.

Gostos a parte, preciso admitir que o filme me surpreendeu e me rendeu uma ótima noite no cinema. Existem vários pontos que tornam o filme bom e que causam divisão de opiniões. O filme não se aprofunda na história de cada personagem (e achei isso ótimo). Ele dá apenas uma intro básica de cada um dos integrantes do esquadrão para que o espectador saiba de onde ele veio e o que ele fez. O lado bom disso foi que o filme vai direto ao ponto em vez de ficar naqueles diálogos intermináveis que contam a história dos vilões.

Sem dúvida, ela é uma das personagens que mais ganharam destaque no filme. E não é à toa. A personagem dela é destoante da história recheada de caras maus e fortes. Ele bonita, fofa e… completamente insana. O humor sarcástico dela mostra o quanto ela é perigosa e imprevisível, ao mesmo tempo que os flashs de memória de seu romance com o Coringa mostram que em meio a tanta loucura, ainda há espaço para a paixão.

Um ponto que sempre me conquista nos filmes é a soundtrack. E a trilha de Esquadrão Suicida está impecável. Exatamente com a mesma cara do filme: intensa, profunda e louca.

Se você estava na dúvida sobre ver o filme, vai fundo.

E se você quiser entrar mais no clima, pode criar seu próprio ícone oficial do filme. É só clicar aqui.

Blogueiro, criador do Cronistas de Quarto, amante de chuva, música, cinema e passar horas no quarto rabiscando aventuras.

Se você gostou desse texto, deixe aqui seu comentário. :)

comentários