Feliz dia do irmão.

cronistas

Dia 05 de setembro é comemorado o dia do irmão.

Eu queria ter todos os motivos para comemorar esse dia, mas olhando o calendário e me dando conta de que este dia estava chegando, eu senti um aperto no coração. Todos me veem como uma pessoa alegre e alto astral, quando na verdade eu apenas evito deixar que elas percebam algo muito mais profundo. As pessoas são tão cheias de problemas. Não há motivo para terem que ouvir os meus problemas. Além disso, nunca me senti a vontade para conversar sobre algo tão íntimo.

Uma ferida que ainda está aberta mesmo depois de 11 anos é a perda minha única irmã. Larissa.

Mesmo tendo passado tanto tempo, eu ainda tenho problemas com algumas coisas. Falar de família, idade, morte e várias outras coisas que invariavelmente chegam nesse assunto. Quando me perguntam se eu sou filho único, sempre digo que sim. Acho mais fácil e menos doloroso assim. Caso contrário, tenho que entrar nesse longo assunto sobre luto, algo que eu não levo o menor jeito para conversar. Não gosto que as pessoa sintam pena, muito menos querem que olhem pra mim saibam das coisas que eu passei. A dor que eu sinto é algo muito íntimo para compartilhar facilmente em qualquer conversa.

Ainda não sei exatamente como falar sobre isso. Eu tenho ou tinha uma irmã? Para mim eu sempre vou ter. As pessoas que a gente ama nunca morrem. Mas complicado dizer “Sim, eu tenho uma irmã. Mas ela não está aqui.” Mesmo sendo a verdade.

Ela era (ou é) 8 anos mais velha do que eu. Hoje eu tenho 21 anos, então ela teria 29. Eu era muito apegado a ela. Éramos o tipo casal de filhos briguentos. Não ficávamos muito tempo perto um do outro sem nos atracarmos, xingarmos e coisas que irmãos mais velhos e mais novos fazem. Mas éramos uma família, apensar de brigarmos como gato e rato, nos amávamos. E nessas datas, como dia do irmão, aniversário dela, aniversário de morte, eu sempre fico um pouco distante, fora de mim e sem raciocinar direito. Desculpa.

Talvez você já tenha perdido alguém próximo, talvez não. Mas nunca desejo perder uma das pessoas mais próximas de você, como um pai, mãe… ou irmão.

Neste Dia do Irmão, a melhor coisa que eu posso fazer é levar flores para ela e passar um tempo conversando. Conversar e acreditar que, de algum jeito, ela possa entender. Mas se você de alguma forma pode dar um abraço apertado na sua/seu irmã(o), faça isso quando puder.

Você não faz ideia do que eu faria para poder ter isso.

Blogueiro, criador do Cronistas de Quarto, amante de chuva, música, cinema e passar horas no quarto rabiscando aventuras.

Se você gostou desse texto, deixe aqui seu comentário. :)

comentários