Coisas que a gente resolve com uma boa conversa.

Cronistas de Quarto

Mesmo estando tão perto todos os dias…

Eu tenho 21 anos hoje.

Idade pra mim é só um número, mas as pessoas insistem em destacar isso como argumento em qualquer conversa. Mesmo sendo novo, eu nunca levei a vida que outras pessoas da minha idade levam. Eu fui obrigado a amadurecer cedo, aprender a brigar e me defender cedo. Tive que construir muros e pontes. Essas coisas que quem tem a característica de ser solitário é obrigado a fazer.

No fim das contas, é 21×3 = 63. Minha idade psicológica.

Eu fico muito feliz com tudo que conquistei hoje. Na minha carreira e na minha vida pessoal

Mas e agora?

Eu sou meio desligado por dentro e um pouco distante também. Eu não gosto de lugares cheios. Não gosto de som alto. Não gosto de ser o centro das atenções. Muito menos ser o centro das atenções do coração de alguém. É muita responsabilidade.

Mais uma responsabilidade uma para quem tem 63 21 anos.

Eu não gosto de decepcionar alguém. O problema é que a vida que eu construí não foi feita para dois.

Antigamente, eu sonhava em ser alguém importante, em estar sempre ocupado, porque tinha coisas demais na cabeça e o trabalho era algo que poderia manter a minha mente ocupada. Muitas pessoas me abandonaram, mas as pessoas que apostaram no que eu fazia sempre estavam lá. No fim das contas, era tudo que eu tinha. E foi tudo isso que me possibilitou o que eu tenho hoje.

Eu tenho todos os motivos do mundo para você não ficar comigo. Eu sou inseguro, sou “esquisito”, frio, instável emocionalmente, ciumento, reflexivo, tenho mudanças repentinas de humor e gosto de ficar sozinho. Você me perguntou se eu estava sofrendo por amor no começo do ano. Sim, eu estava. A tatuagem no meu peito diz muito sobre isso. Love is cruel, It´s crazy. É um trecho de uma música que sempre toca na minha cabeça nesses momentos.

Por um momento eu tive esperança. Eu queria mudar tudo isso.

Você é divertido, alto (rs) e o tipo de pessoa que tem sonhos e almeja algo maior. Coisas que eu admiro em alguém. Pensei muito sobre o convite para a viagem ao Rio de Janeiro, provavelmente não vou poder ir, mas, se rolar, seria muito legal.

Eu tenho um vida que muda a todo instante. Eu tenho muitas pessoas que dependem de mim. Muitos planos que fiz nesse segundo semestre. E tenho certeza de que você tem os seus, como já me contou algumas vezes. Não desista deles por ninguém. Nem por um amor.

Esqueça os filmes, os livros, as histórias e qualquer coisa que encante e dê esperança.

É você quem decide correr o risco.

Eu, na minha mania de abraçar o mundo, sempre acabo deixando cair alguma coisa sem querer. Normalmente, é sempre um coração.
Eu não vou pedir paciência comigo. Vou te pedir pra não esperar por mim.

Mas isso não quer dizer que eu não me importo. Pelo contrário.

Eu tenho muitas esperanças.

Blogueiro, criador do Cronistas de Quarto, amante de chuva, música, cinema e passar horas no quarto rabiscando aventuras.

Se você gostou desse texto, deixe aqui seu comentário. :)

comentários