Aquele texto que eu te prometi.

sem-titulo-1

Ter um coração forte nem sempre é uma característica de pessoas fortes.

Ter tantas emoções quanto pássaros numa revoada sempre foi uma das minhas características. Sendo sincero, tive uma certa dificuldade para escrever esse texto. Não gosto de falar muito de mim. Eu sempre preferi escutar o que os outros corações têm a dizer.

Foi quando descobri que tinha uma empatia acima da média. Alguém que se importa e reflete muito mais as emoções dos outros do que as de si mesmo.

Mas continuando, sempre achei muito egoísmo falar de mim mesmo, falar do que eu gosto, como eu sou ou coisas assim. Somos tão pequenos diante de tantas coisas mais importantes.

Esse texto não foi feito para me enaltecer, massagear meu ego ou algo sim. Não, esse texto é a placa de aviso e de atenção que a gente coloca perto de um lugar onde pessoas podem se machucar.

Na verdade, são alguns fatos sobre mim. Essa corrente é antiga e sendo bem sincero, um número muito pequeno de pessoas que fizeram realmente despertam o interesse. Eu só resolvi listar esses aqui para uma única pessoa em especial conhecer melhor esta pessoa aqui, já que eu não sei me expressar diretamente com a mesma facilidade que escrevo (que clichê, né?).

Eu já tive muitos relacionamentos, mesmo sendo novo. Uns duraram anos e outros duraram dias. Meu coração já teve seus dias de glória também. Dias agitados, calorosos e cheios de emoção. Hoje, um certo tempo depois… Silêncio. Eu encontrei um lugar seguro e protegido onde pude me aconchegar, criar raízes e não chamar a atenção. Parei de procurar por alguém, parei de sentir muita coisa. Estava começando a virar uma pedra até que alguém surgiu e… decepções. Parece que eu não perdi nada ficando quieto todo esse tempo. Mas onde quero chegar com tudo isso? Eu não sei exatamente o que você quer, não sei exatamente o que você espera disso tudo. Uma chance de ser feliz? Um relacionamento duradouro? Alguém pra ficar de vez em quando? Um “lance”?

Independentemente do que você quiser, eu ainda estou parado, quieto e em silêncio. Eu não vou mentir. Eu queria algo que valesse a pena. Alguém para viajar junto, alguém que entende meus textos, meu trabalho e um pouco da minha vida.

Infelizmente, eu estou meio fora de forma para essas coisas. Você chegou em um momento da minha vida que eu não estava pronto para receber alguém. Tantas coisinhas para resolver, tristezas para cuidar e pessoas que precisam de mim. Ainda assim eu tentei. Eu só não quero decepcionar alguém.

Nós somos parecidos, mas ao mesmo tempo distantes. Eu sou uma manhã de sábado que passa devagar pelas horas que seguem. Você é uma noite agitada e divertida. Você é movimento e eu sou silêncio.

Não sei se você vai ter paciência. Não sei se não nos vermos mais todos os dias durante 8 horas vai ajudar a manter isso. Eu tenho um pouco de medo dos próximos dias e isso é uma coisa boa porque significa que estou gostando de você.

Bom, eu já não tenho mais coração para apostar nesse tipo de jogo. Mas se você quiser eu vou tentar. Aqui não tem muita coisa além pensamentos, palavras e sono, ok?

Eu sou solitário.

Uma vez eu li uma frase que dizia que um homem não pode viver sozinho porque um homem não é uma ilha. Eu discordo. Acho que a maioria das pessoas não deveria viver sozinha, porque muitas pessoas não são solitárias por opção. Já eu, decidi isso desde pequeno. Eu me sinto bem sozinho. Me sinto seguro, livre, sem amarras e sem olhares. Isso sempre foi um problema para os meus relacionamentos. Quem gostaria de ficar com alguém que gosta de estar sozinho? Afinal, um relacionamento é feito de presença. Mas tudo aquilo que me obrigar a sair da minha toca só vai acabar me fazendo entrar mais nela. Eu sei a hora de sair, a hora de estar presente. Por isso eu procuro muito mais confiança em alguém antes de sair do lugar que me faz bem.

Eu sou muito paciente e não tenho noção de tempo.

Eu posso esperar anos, dias e meses por alguma coisa. À medida que ia me relacionando com as pessoas eu notei que a maioria delas (principalmente as mais velhas), possuíam uma certa pressa em definir tudo que estava acontecendo. Estamos namorando ou não? Como a gente fica? Sempre as mesmas perguntas e eu nunca entendia o motivo. Como as pessoas não possuem essa mesma paciência pra levar algo, eu acabei decepcionando muita gente. Eu não julgo isso, mas eu aprendi muitas coisas, e uma delas é que a paciência rende muitos frutos.

Eu sou indeciso.

Deve ser coisa de libriano. Eu sou indeciso várias e várias vezes em diversos assuntos, porque eu sou muito paciente e gosto de fazer as coisas com calma. Então, se algo de imediato surge sem que eu tenha tempo de avaliar as alternativas, eu acabo ficando meio perdido.

Uma metade de fogo e uma de gelo.

Comigo não existem meios termos. Detesto coisas mal resolvidas que ficaram pra depois. Muitas vezes eu sou intenso e sentimental. Mas, na mesma intensidade dos meus sentimentos, eu também posso ser um pouco apático, distante, desligado e frio.

Eu sou muito inseguro.

Esse é um dos principais motivos pelos quais eu fui muito “cheio de mim” durante algum tempo. Normalmente, já sou taxado de nerd quando alguém me conhece. Um garoto branco, cabelo desgrenhado, óculos com lentes grossas e tatuagem do pac man. Quem não acharia? Eu nunca me considerei uma pessoa bonita, e isso me deixou inseguro de começar alguns relacionamentos. Sempre me julgando inferior a outras pessoas. Hoje, eu entendi o valor da minha identidade, eu entendi a minha beleza e fiquei mais confiante. Mas aquela pontinha de insegurança ainda me acompanha.

Eu já tenho um relacionamento com a minha carreira e com os meus projetos.

Você já deve saber disso, mas eu trabalho muito. Essa foi a forma que a minha cabeça encontrou de tirar o coração do centro das atenções. Na verdade, eu considerei relacionamentos como distrações durante muito tempo.

Acho que dos maiores problemas, gostar de ficar sozinho é o pior. Meu espaço é meu mundo. É pra onde eu tenho que voltar pra recarregar a bateria que me faz ser sociável. Vão ter dias que eu não vou querer sair, que eu vou querer ficar quietinho no meu canto, parado, preso em algum pensamento ou ideia.

Esse é o texto que eu finalmente consegui terminar. Que eu comecei na hora do almoço na agência, continuei a noite quando cheguei em casa, escrevi as últimas partes na moleskine e quase sete dias depois consegui terminar.

Espero não ter sido uma decepção.

Blogueiro, criador do Cronistas de Quarto, amante de chuva, música, cinema e passar horas no quarto rabiscando aventuras.

Se você gostou desse texto, deixe aqui seu comentário. :)

comentários