O mundo gira, as coisas mudam e pessoas vão embora.

Foto: Tobias Zils

Talvez você já tenha parado para pensar nisso, ou talvez não, mas a vida é feita de pessoas partindo constantemente de nossas vidas. Indo em embora em todos os sentidos possíveis.

Pode ser um conhecido que está se mudando para outra cidade, um amigo com o qual você nunca mais conversou, um colega de trabalho que está indo para outra empresa ou até mesmo alguém próximo que te deixou.

Talvez seja ser um pouco egoísta, mas eu detesto que as pessoas saíam da minha vida (quer dizer, as pessoas que valem a pena ficar).

Então, depois de muitas despedidas eu entendi que não teremos as pessoas que gostamos sempre com a gente. Em algum momento, aqueles que nos cercam terão que partir, e nós faremos o possível para evitar isso.

As pessoas vão embora porque as coisas mudam. Talvez elas tenham encontrado um lugar melhor para morar, uma nova oportunidade ou coisas assim. Infelizmente, pra mim que sempre fico aqui observando as pessoas irem e sentindo o espaço que elas deixam, só resta entender e ficar feliz pela decisão delas. Acredite, uma hora também vamos estar nessa posição, e vamos precisar de apoio para seguir em frente.

Eu já tive a minha vez de partir. Porque, como todo mundo, você e eu estamos dentro do movimento do mundo, e vez ou outra chega a nossa vez de mudar.

Eu me lembro da minha despedida de um lugar onde trabalhei com pessoas incríveis. Foi triste e dolorosa a decisão de ir embora, mas foi pior ainda o momento de dar tchau. Mas foi por um bom motivo, por algo maior.

Isso foi bom, pois agora eu sei o que uma pessoa sente antes de tomar uma decisão e o que ela vai sentir após fazer isso.

Agora, eu já sei que muitas pessoas vão embora. A vida é feita de mudanças e pessoa que gostamos escolhendo o caminho que vão trilhar.

Eu escrevo para tirar um pouco destes sentimentos de mim. Deixar a mente mais leve já que eu não me abro com as pessoas, então, você que é leitor daqui, pode se sentir especial por ser o meu confidente.

Este texto é pra lembrar (para me lembrar), de que muita gente que eu gosto ainda vai partir, muitas despedidas ainda vão chegar e por mais que eu já tenha me acostumado com essa ideia, cada uma vai doer de um jeitinho diferente. Do jeitinho que essa pessoa me tocou. Mas eu fico aqui na plateia torcendo, como um espectador das conquistas das pessoas que eu gosto. Torcendo e seguindo em frente.

Blogueiro, criador do Cronistas de Quarto, amante de chuva, música, cinema e passar horas no quarto rabiscando aventuras.

Se você gostou desse texto, deixe aqui seu comentário. :)

comentários