O motivo por trás da minha ausência: Inflorais

 

Oi, gente. Tudo bem?

Muitos de vocês deviam estar se perguntando por onde eu andava, se voltaria a publicar ou mesmo se havia desistido do blog.

Não. Eu nunca desisti de voltar a compartilhar com vocês o que eu aprendo na vida.

A verdade é que crescer e descobrir que se tem o mundo inteiro diante da gente é algo incrível e ao mesmo tempo paralisante. Muitas vezes, queria abraçar tudo o que eu poderia fazer.

Mas não é isso que eu vim apresentar a vocês na minha volta.

O que eu trago hoje é algo muito mais íntimo e, para mim, uma expectativa muito gostosa de estar vivenciando: o meu primeiro livro.

Como alguns amigos mais próximos sabiam, eu estava trabalhando em um livro de ficção chamado CHAOS, que gostaria de ter lançado no início desse ano. Tudo mudou quando eu passei por um relacionamento breve, mas intenso no início do ano. No último dia 12 de junho – sim, no Dia dos Namorados – eu me inspirei a libertar todos estes pensamentos ligados ao amor e personifica-los em um conto.

E isso deu origem à Inflorais: uma noite para duas vidas.

Inflorais é um conto. Curto e leve. Sem mistérios. Não queria reinventar a roda na literatura. Só queria compartilhar um pouco da minha visão sobre as experiências que tive nos meus últimos relacionamentos, e colocar no livro uma expressão da minha dor.

O livro conta a história de um jovem gay chamado Guilherme (ou Gui para os íntimos).

Guilherme se apaixonou várias vezes, e ,entre namoros curtos e longos, acabou perdendo um pouco de si e um pouco da sua crença no amor.

Em, mais ou menos, 130 páginas, eu apresento um mundo de pensamentos, diálogos poéticos, convicções e indagações a respeito das relações que o Guilherme tem com os amigos, com a família e com o amor.

Eu decidi publicar esse conto no dia 22 de setembro para coincidir com o início da primavera. Nem tudo floresce, não é mesmo?

Eu gosto de flores e da ironia que é dar elas como presente.

Você mata algo tão lindo para presentear. É o que acontece nas relações. Os sacrifícios que fazemos.

 

Mas, algumas vezes, nos privamos de presentear os outros com nossas flores. Ou melhor, não deixamos que nada floresça, por medo ou insegurança. Por isso, Inflorais.

Como a publicação do livro aconteceria apenas 3 meses depois da concepção da ideia, não havia tempo sequer para tentar uma editora. Por isso, decidi fazer a publicação da versão digital na plataforma da Amazon/Kindle para escritores independentes.

Ou seja, para você ler Inflorais vai precisar baixar no seu celular, tablet ou computador, o app de leitura do Kindle. E vai precisar criar uma conta na Amazon também. Para fazer isso é só clicar aqui.

Clique aqui ou no banner abaixo para acessar a página de download do meu livro.

Caso queria comprar o eBook e receber o arquivo em PDF no seu e-mail, é só acessar esse link.

Espero que gostem desse trabalho.

Acompanhe mais novidades no meu Instagram, Twitter e Snapchat e não se esqueçam de me enviar a opinião de vocês sobre o livro. Nos vemos mais vezes a partir de hoje aqui no blog e nas redes sociais.

Blogueiro, criador do Cronistas de Quarto, amante de chuva, música, cinema e passar horas no quarto rabiscando aventuras.

Se você gostou desse texto, deixe aqui seu comentário. :)

comentários

  • Davi Batista

    Oie, tudo bom?
    Então, eu te sigo no Instagram faz um tempinho e não tinha percebido a aura maravilhosa de arte em você, só hoje, quando você postou aquele storie, e aí cá estou, haha.
    Li algumas coisas e cheguei no livro (inclusive já baixei). Tô adorando isso aqui kkk.
    Uma coisa: porque você não escreve no Wattpad? Ia adorar te ver lá :3

    • Oi, Davi! Poxa, obrigado pela mensagem. Fico beeem feliz que esteja gostando.

      E obrigado por baixar o livro. <3 Então, pensei em usar o Wattpad. Mas é que tem tantos lugares para eu espalhar os meus textos kk. Escrevo aqui no Cronistas, Medium e Tumblr. Agora decidi concentrar tudo aqui no blog mesmo. Mas vou postar algumas coisas lá no Watt para testar. Valeu pela dica! Abração e espero te ver mais vezes aqui.

      • Davi Batista

        Por nada, não tem como não gostar desse blog.
        Vou esperar pelos seus testes lá, hein? Kkk
        E pode deixar que eu vou acompanhar sim 🙂